Dicas

Construção e Reformas: Descubra como Baratear a sua Obra

A construção civil vem apresentando nos últimos anos um crescimento considerável, principalmente devido ao número de construção e reformas.

Os desafios presentes no dia-a-dia de quem decide construir ou realizar uma reforma são muitos. Uma das principais preocupações é em como baratear essa obra. 

As necessidades durante esse período de trabalho árduo podem parecer infinitas, mas essa infinidade não reflete nos recursos disponíveis por parte do proprietário. 

É preciso pensar em todos os cenários em que será necessário investir, como mão de obra, assessoria imobiliária e materiais de construção. 

O caminho mais comum para economizar, na cabeça de quem pensa em iniciar uma obra, é escolher os produtos com menor preço ou maior promoção disponíveis no mercado. 

Porém, é preciso atenção com essa escolha, já que muitas vezes, o barato sai caro. O valor que teoricamente foi alocado em um produto de baixa qualidade será cobrado, com multiplicações, mais tarde, quando for preciso refazer. 

Muitas vezes, estes materiais ganham o papel de economia por conta da durabilidade. Um exemplo seria um tubo pvc transparente rígido preço. Nesse caso, é um investimento, pois a confiança e a qualidade do produto são superiores. 

O investimento realizado em qualidade pode ser compensado com algumas atitudes que também vão baratear o custo dessa jornada. Conheça agora alguns pontos que auxiliarão nesse processo. 

Projeto

O projeto, ou planejamento, é o espaço onde os sonhos serão colocados no papel, em que cada detalhe será pensado para atender as necessidades do proprietário. 

Caso, por exemplo, tenha o desejo de instalar placas solares para economia de energia elétrica, o responsável pelo projeto incluirá a cotação de uma empresa de energia solar

Contudo, é preciso seguir nessa fase com cautela, pois não é um momento apenas criativo, mas deve ser levado com estratégia e responsabilidade. 

Inicialmente, esse projeto precisará ser desenhado por um profissional, como um arquiteto ou engenheiro. Isso irá garantir que todas as especificações técnicas estão sendo seguidas. 

É muito comum que no momento em que uma obra inicia-se a ansiedade e o desejo de ver algo pronto logo tomarem conta, e assim, muitas decisões erradas são tomadas, podendo ir desde uma compra de material a mais ou o aluguel de um equipamento desnecessário. 

O profissional é essencial, pois ele consegue compreender as necessidades da obra e encontrar formas mais econômicas de colocá-las em prática. Nessa atuação, ele pensará junto com o proprietário, em alguns pontos importantes, como os seguintes:

  • Lista do que será feito;
  • Desenho da estrutura;
  • Orçamento;
  • Mão de obra necessária;
  • Materiais necessários.

No momento em que o arquiteto traça os passos que serão dados na obra, o proprietário deve estar presente, pois o seu desejo é o que guiará as decisões e busca de soluções. Para que o desenho da estrutura seja feito, é preciso pensar no tipo de obra. 

Quando inicia-se uma grande construção, como de prédios, por exemplo, muitas etapas são pensadas, indo desde a estrutura com o uso de uma forma metálica ao mapeamento dos andares e decorações semelhantes.

Porém, no caso de obras residenciais esse desenho está voltado para a conjuntura dos cômodos e espaços que serão modificados. Em geral, essas mudanças vêm da necessidade do proprietário em expandir os ambientes.

Com essa expertise, será possível economizar em diversas áreas. Conheça abaixo mais algumas atitudes benéficas para baratear a obra.

Mão de obra para a construção

Além do profissional especializado para cuidar da parte do projeto, é preciso pensar, também, na contratação dos profissionais responsáveis pela execução da obra. 

Podem ser necessários diversos trabalhadores para a execução, como pedreiros, pintores, eletricistas e encanadores. 

Estes profissionais são indispensáveis, pois os serviços que oferecem não podem ser feitos por pessoas sem conhecimento, por exemplo o aterramento de um terreno necessita da contração de uma empresa de terraplenagem, mantendo a segurança e eficiência.

A contratação destes profissionais deve constar no Orçamento inicial traçado no projeto, os valores dessa contratação podem corresponder a até 40% do valor total da obra. 

Por corresponder a uma fatia generosa do orçamento, os valores de cada profissional podem ser pesquisados, pois variam muito entre cada um. 

Porém, atenção, é preciso também atentar-se às referências do profissional, pois uma contratação mal feita resultará em um trabalho mal feito, ocasionando mais gastos futuros com reparos.

Algumas tarefas da obra são simples e podem ser feitas pelo próprio proprietário, economizando assim valores destinados a esses pontos. 

Pintura, instalação de suportes e aplicação de papel de parede são trabalhos, que com as ferramentas certas, podem ser feitos por alguém com pouco conhecimento técnico. 

Essas ferramentas usadas podem ser alugadas. O aluguel de ferramentas e máquinas é muito usado nas construções, como é o caso do aluguel de andaimes sorocaba, em São Paulo, que é uma cidade em grande desenvolvimento e tem esse mercado aquecido.

Escolha do Material primário

Alguns materiais que são comprados logo no início da obra, como areia, blocos, cimento e ferros, são chamados de primários. Esses produtos apresentam uma baixa variação de preços, tendendo a não ter muitas grandes diferenças entre uma loja e outra. 

Contudo, ainda é muito importante realizar pesquisas para entender os valores em todos os fornecedores disponíveis.

Muitas vezes uma telha de concreto plana apresenta um valor maior em uma loja de construção, mas pode ser um pouco mais em conta em um outro fabricante, por exemplo.

Esse conceito de diferenças de preço refletem também para outros produtos que serão usados, por conta disso, é recomendado que todas as compras sejam feitas diretamente com fornecedores, evitando lojas.

Estes fornecedores conseguem entregar maiores descontos, principalmente quando as compras são feitas em grandes quantidades. 

A compra em quantidade é uma vantagem para várias áreas, lojas e bazares, por exemplo, tendem a comprar naftalina atacado, pois barateia o custo e eles mantêm estoque abastecido.

Outra opção para economizar na escolha dos materiais primários é comprar alguns de reuso. Existem muitas opções em conta, como madeira de demolição, por exemplo. 

Esses produtos conseguem apresentar uma qualidade satisfatória, que atendem bem às necessidades da obra, e ainda são mais baratos que os novos.

Porém, vale lembrar que essas escolhas também devem ser assistidas por profissionais, pois somente eles conseguirão fazer uma avaliação adequada, garantindo que os produtos ainda estão em boas condições. 

Controle o fluxo de caixa

Durante o período de execução da obra, muitos custos extras podem aparecer. Pode ser um material mal armazenado que se perde ou até mesmo um atraso que precisará custear mais mão de obra. 

E por surgirem durante a execução, esses custos não estavam no Orçamento inicial que foi planejado. 

Por isso, é importante manter uma reserva de emergência, pois sem ela, a obra não seguirá e depois de interrompida, é muito difícil voltar ao ritmo anterior. Essa reserva de emergência deve estar presente desde o início, pois as dificuldades podem surgir a qualquer momento. 

Caso não seja possível montar uma reserva maior, ela pode ser alimentada no decorrer da obra, muitas vezes uma construção complexa pode durar meses, por isso há espaço para enriquecer o fundo de emergência da obra.

Para minimizar a quantidade de questões que ocasionam perdas ou imprevistos que precisam ser cobertos pela reserva de emergência, é preciso criar uma planilha de custos. 

Essa planilha precisa conter todos os materiais em armazenamento e os que estão sendo consumidos. É importante que o responsável pela obra tenha um contato direto com o proprietário, para garantir que a planilha esteja o mais atualizada possível. 

Através desse controle, é possível também identificar o quão avançada está a obra, já que o consumo médio de materiais foi pensado considerando cada fase. 

Escolha do acabamento estrategicamente

Essa fase é onde estão presentes as maiores variações de preços. Muitos produtos chegam a custar a metade do preço de uma outra loja, ou de um outro produto com qualidade semelhante. 

O acabamento é toda a parte da obra que fica a mostra, por isso a maioria das pessoas buscam produtos que sejam estéticamente atraentes, mas nesse caminho, podem acabar deixando a qualidade em segundo lugar.

Porém, é preciso escolher cada material com inteligência, a maioria das opções ocupam níveis de preços bem diferentes, mas a estética semelhante. 

Antes de conhecer quais possíveis trocas podem ser realizadas para economizar, é preciso entender que o acabamento será feito no final da obra, portanto a paciência é a chave.

É necessário finalizar a obra do cômodo ou do ambiente antes de iniciar o acabamento, pois se houver mais algum detalhe para acertar na estrutura, enquanto o acabamento estiver em execução, será necessário desfazer todo o trabalho realizado. Algumas substituições inteligentes e econômicas são:

  • Piso de madeira por piso laminado;
  • Janelas de madeira por vidro;
  • Blocos de 9 por 8 furos;
  • Porcelanato por cimento queimado;
  • Azulejos por adesivos;
  • Forro de madeira por PVC.

Com isso, percebe-se que durante uma reforma é possível dar personalidade e ainda economizar no total investido.
Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − quatro =